Literatura | Conto | Baile a fantasia.

   Alan e Silvio pai e filho que pareciam dois irmãos, saiam juntos divertiam juntos onde um estava o outro também estava, todo mundo dizia que bonito esses dois nem parece ser pai e filho, Alan muito conservado e jovem, Silvio o xérox do pai a esposa era Magilda uma mulher linda e jovem, era promoter e exibia os dois homens de sua vida marido e filho. Uma noite ela estava trabalhando numa festa da cidade era um baile a fantasias e toda região foi convidada, o local escolhido era a quadra poliesportiva da cidade, ela teve um trabalho danado para organizar a festa e todas as pessoas do mais alto escalão haviam confirmado presença. A noite prometia, seus amores estariam presentes iriam vestidos de rei e príncipe, seriam os homens mais lindo da festa toda cidade estava enfeitada para recepcionar as autoridades políticas que viriam, seria inaugurada a praça onde a quadra foi construída e a fantasia era porque muitas pessoas queriam ir e com a fantasia seria diferente ninguém era reconhecido sugestão do prefeito da cidade e que Magilda colocou em prática com muito profissionalismo. Todos pensavam que a mulher amava seu marido e filho quando ela falou deles no palco diante da população presente, mas era tudo mentira. Silvio procurou sua mãe em meio a tanta gente e não a encontrava ela estaria vestida de sereia mas tinha tantas qual delas seria sua mãe.
        Alan disse ao filho sua mãe deve estar recepcionando os convidados, pai como ela faria isto não reconheceria ninguém calma filho ela ainda não se vestiu e nem as autoridades chegarão disfarçados só após os discursos que vestirão suas fantasias, sendo assim o rapaz procurou pela mãe na portaria perguntou várias pessoas e nada, preocupado voltou até seu pai e contou que não a viu. Então Alan se preocupou a esposa disse que estaria na portaria saíram os dois procuraram por todos os lados ninguém sabia dela, ligaram em seu celular fora de área ou desligado, cansados de andar foram em casa ela não estava, procuraram pelo prefeito e também não o encontraram, a esposa dele disse sua esposa ligou, depois de falar com ela ele saiu apressado parece que aconteceu algo. Eles voltaram para festa e continuaram aguardando, depois de muitos discursos começou a festa em si todos fantasiados, muita bebida e comida e todos dançando ao som de uma banda local muito famosa. Passava da 02 da manhã e nada de sereia Magilda,  Alan e Silvio deixaram o local da festa e voltaram na casa do prefeito desta vez nem a esposa estava, preocupados foram à delegacia e para surpresa deles encontraram a mulher e o prefeito lá, havia acontecido um acidente com um político que vinha pra festa e eles foram prestar socorro, mas não deixaram ninguém ficar sabendo para não atrapalhar a festa e nem os outros politicos que estavam na cidade. Assim que pode a mulher veio falar com Alan e Silvio que estranhou muito por que ela ir socorrer alguém, não era enfermeira meio sem graça ela não deu muitas explicações e foram para casa, pela manhã Magilda foi ler o jornal da festa e quase teve um infarto ao deparar com uma foto dela e o prefeito se beijando. Alan pediu o jornal para ler ela se negou e tratou de sair às pressas, mas Silvio havia recebido uma ligação de um amigo contando o fato, então chamou seu pai e foram para um sítio ali perto onde tinha muitas cachoeiras e árvores eles sentaram nas pedras à beira do riacho e o filho contou o acontecido e mostrou o jornal, o pai arrasado quis morrer, disse muita besteira mas o filho parecia ser pai ao invés de filho, segurou na mão do pai e ofereceu seu ombro amigo, seu apoio incondicional e disse pai eu estou contigo e aconteça o que acontecer estarei contigo por que sou teu filho seu amigo seu companheiro e te amo!
       Abraçados choraram ali e depois foram a um bar tomaram uma cerveja como de costume e foram para casa seria hora do almoço, mas a casa estava vazia Magilda havia aproveitado a ausência deles e tirado suas coisas e ido embora. Foi melhor assim pai, disse Silvio faremos o que for melhor para ela, e o senhor fica aqui vamos morar nós dois até arranjar uma namorada né, riram meio sem graça e depois preparam uma comida. A noite toda cidade sabia do acontecido o prefeito fez de conta que não era com ele, a esposa do prefeito fez de desentendida e ficou por isto mesmo. Magilda havia ido para um hotel na cidade vizinha já tinha um advogado cuidando dos interesses dela queria a casa onde moravam e mais uma casa na praia. Silvio disse pai vai dar o que ela quer sem reclamar, o pai disse meu filho ela quer as casas, eu queria ela casa sem ela nada adianta, nós mudaremos daqui para outra casa, deixa ela aqui. Os meses passaram e a separação foi feita com a divisão dos bens como ela queria, ninguém entendia como ela que sempre mostrou ser uma mulher fiel apaixonada pelo marido e pelo filho fazer uma coisa daquela, mas o prefeito tinha uma explicação, eles foram namorados na juventude, eles sempre se amaram as escondidas, quando ele descobriu que ela era promoter resolveu contratar ela para organizar as festas da cidade, e a separação foi de caso pensado, ele também estava se separando da esposa iriam viver juntos já havia pensado em tudo antes. Os dois homens pai e filho ficaram surpresos com toda história, resolveram se mudar da cidade, venderam as terras e alugaram as casas que tinham, foram para outro estado e ninguém dizia ser pai e filho tamanha união e beleza esbanjavam, de uma coisa eles tinham certeza, baile a fantasia nunca mais na vida.  

Texto de Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele sem autorização prévia e expressa da autora. Os Direitos estão assegurados nas Leis brasileiras e internacionais de proteção à propriedade intelectual e o desrespeito estará sujeito à aplicação das sanções penais cabíveis.