Literatura | Conto | A boneca de Porfiria.

by Krika Artes
    Aretuza era uma criança linda meiga e muito carinhosa, todos gostavam da menina, menos a mãe de uma das suas amiguinhas, a menina tinha várias amiguinhas que toda tarde vinha em sua casa brincar no jardim em sua companhia, ela morava numa fazenda grande onde tinha muitos animais e pássaros, a tarde quando as crianças chegavam Dorothy servia lanche com suco a elas, entre suas amiguinhas havia uma que todos temiam brincar com ela, menos Aretuza, Fani era muito agressiva com todos, as outras crianças sentiam medo dele, sua mãe era um tanto egoísta e mesquinha, quando elas se reuniam a mãe de Fani observava de longe e maldizia as crianças em voz alta. Dorothy era funcionária da fazenda e gostava de servir as crianças e observava suas brincadeiras. As outras meninas era Stéfany, Gabriela e Agda, todas as mães deixavam suas filhas irem sozinhas menos a de Fani que gostava de confusão. Alessandra a dona da casa e mãe de Aretuza gostava muito da visita das meninas assim sua filha tinha com quem brincar sem sair de casa, ela não gostava da ideia de sua filha saindo para brincar longe de seus olhos.
       Nesta tarde especialmente as crianças iriam ganhar um presente da amiguinha, havia comemorado seu aniversário e não tinha feito festa, ela quis comprar uma lembrancinha para suas amiguinhas, quando elas chegaram tudo estava organizado, o lanche seria especial com direito a sorvete após, na hora de irem embora ganhariam uma boneca linda que Alessandra escolheu com todo carinho, entre as bonecas havia uma especial que seria para amiga de sua filha a menina que vivia no orfanato a espera que uma família que a adotasse era Porfiria, e que não pode se fazer presente, mas Dorothy não sabia qual delas devia deixar separada, depois de muitas brincadeiras e cantorias elas sentaram em volta da grande mesa no jardim e foram lanchar a mãe de Fani estava na varanda conversando com Alessandra, ao ouvir o nome de sua filha saiu deixando a mulher falando sozinha e tirar satisfações com as outras crianças, queria saber por que estavam dizendo o nome de sua filha com graça, Aretuza explicou que estavam falando dos meninos da escola que gostavam da menina, a mulher se irritou e começou a gritar com a menina, Alessandra vei tentou acalmar a mulher dizendo ser brincadeiras de crianças, não disseram por mal, mas a mulher arrastou a filha pelo braço e gritando que não deixaria a menina voltar mais, antes que ela saísse do jardim a menina correu com a boneca e entregou a amiguinha dizendo é meu presente que comprei por ocasião de meu aniversário. Mas enfurecida a mulher empurrou a menina com a boneca e tudo na grama onde ela caiu e quebrou o braço. Foi um choro de todas as crianças reunidas que gritavam ao mesmo tempo.
      Ao socorrer a filha a mulher nem percebeu que a boneca era a de Porfiria, mas mesmo com dores a filha disse esta é a boneca da Pofi, como a chamava, foi levada ao hospital onde precisou passar por uma cirurgia, quando teve alta sua família estava reunida com uma festa surpresa, as amiguinhas e desta vez Pofi estavam presentes, a mãe de Fani envergonhada apareceu com a filha pediu desculpas e tudo ficou bem, ela confessou que sentia inveja do tratamento que Aretuza ganhava de seus pais, e seu marido não se importava com sua filha, depois de tudo esclarecido e ouvir umas verdades de Alessandra a festa continuou e a criançada toda ganhou bonecas e os meninos bolas, a família é um bem precioso e uma estrutura que toda criança merece, se todas as crianças tivessem o amor de um pai, mãe irmãos seria bem diferente a vida, quando recebemos amor e carinho sentimos seguras protegidas, está uma explicação que Aretuza deu as crianças presente. Tão logo recuperou da cirurgia ela decidiu que de agora em diante as brincadeiras seriam mais saudáveis e teriam sempre uma pessoa por perto dando o suporte necessário, afinal crianças não tem noção do perigo... 


Texto de Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele sem autorização prévia e expressa da autora. Os Direitos estão assegurados nas Leis brasileiras e internacionais de proteção à propriedade intelectual e o desrespeito estará sujeito à aplicação das sanções penais cabíveis.