Pular para o conteúdo principal

Literatura | Conto | Mundo cigano [Luzia Couto]

    Ha muitos anos na pequena cidade de Rio baixo existia um casal que sonhava ter filhos, mas esta era uma vontade impossível aos olhos humanos. Pois joaninha que era esposa de seu Alvim desde menina não tinha útero, havia retirado em uma cirurgia para tirar um tumor. Mas seu Alvim nunca mencionava esta verdade para esposa afim de não lhe magoar.
Joaninha por sua vez sabia de seu problema, mas também não mencionava para ninguém, e nesta mania viviam os dois sempre querendo ter filhos. Um dia, porém, chegou na cidade muitos ciganos que armaram barracas bem próximo à casa de seu Alvim. Eles vinham de uma cidade distante e com muitas peças para vender, Morgadinho de onde vinham existia muitas novidades que Rio baixo não tinha, foi numa destas visitas que os ciganos fizeram ao casal afim de venderem suas peças de tecidos, que Joaninha começou uma amizade com Sulamita a cigana.
A amizade entre elas estava indo muito bem, era muitos risos, brincadeiras, trocas de presentes, tudo na base da amizade, porém Sulamita tocou no assunto proibido, mas muito desejado por todos.
Os donos da casa quase expulsaram a pauladas de lá, mas a cigana nada boba imaginou vou consertar a besteira que fiz, com cara de quem não quer nada, voltou para uma visita desta vez com segundas intenções, chegou chamou e foi recebida alegremente pelos donos da casa. Eles estavam cansados da lida, e tomavam um aperitivo até o jantar ficar pronto, a cigana disse vou direto ao ponto, quer ter um filho mesmo Alvim Joaninha? Eles engoliram em seco, olharam um no outro e quase juntos responderam sim.
Ela disse vou trazer um gajão aqui amanhã para vocês conhecerem quem sabe gosta dele, eles ficaram sem entender nada e perguntaram como pretende que fiquemos com seu filho? Não é meu filho foi um menino que pegamos na estrada, ele estava perdido sem pai nem mãe, como vi que vocês querem muito ter um resolvi lhe apresentar, combinado amanhã traga o garoto. No dia seguinte bem cedinho Sulamita chamou e Joaninha eufórica atendeu, este é Betovem de quem lhe falei, um menino lindo, moreno, olhos grandes e verdes, foi amor à primeira vista Alvim apaixonou-se pelo Beto, Joaninha ria e chorava ao mesmo tempo. Foi um dia muito especial para o casal e Beto, a cigana nem esperou para saber se daria certo, apressadamente chegou no alojamento reuniu todo seu povo e deixaram a cidade.
No fim da tarde a noitinha o casal pensou como vamos ficar com esta criança de três anos apenas, será difícil para nós e a família será que virão atrás dele, nesta hora souberam que a cigana havia deixado a cidade. O que fazer agora? Estavam completamente apaixonados por Betovem e sem saber como lidar com a nova situação que se encontravam agora. Quem nos ajudará pensaram, Beto desconfiado perguntou eu vou dormir aqui hoje? Sim claro, mas em meio a tudo isto o menino lhes disse sabe a senhora podia me adotar, adotar? Que história é esta criança, o menino olhando para o chão disse gostaria que fosse minha mãe, pois é bonita igual a minha mãe quando ela morava na terra comigo, onde mora sua mãe agora perguntou sem intender bem, ele respondeu no céu ela e meu pai, morreram no acidente, a cigana me pegou e me trouxe disse que ia dar uma mãe para mim, é a senhora, não é? Insistiu o menino, o casal abraçara com o menino e choraram como pode esta criança tão bela e só, trataram de arranjar a papelada e adotaram o menino, que hoje vive feliz com seus novos pais. Sulamita ficou feliz quando soube do acontecido e pensou Deus escreve certo por linhas tortas. 
Texto escrito por Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte desta obra, sem autorização expressa da autora sob pena de violação das Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual.

For many years in the small town of Bass River there was a couple who dreamed of having children, but this was a desire impossible to human eyes. For ladybug was the wife of his Alvim from girl had no uterus was removed in surgery to remove a tumor. But his Alvim never mentioned this fact to wife in order not to hurt him.
Ladybug in turn knew of his problem, but did not mention to anyone, and this craze lived both always wanting to have children. One day, however, arrived in the city many Roma who pitched tents right next to the house of his Alvim. They came from a distant city and many parts to sell, Morgadinho where they came from there was much news that Rio down had not been one of these visits that Roma did the couple in order to sell their tissue pieces that Ladybug began a friendship with Shulamith the Roma.
The friendship between them was going very well, it was a lot of laughs, jokes, gift exchanges, all on the basis of friendship, but Shulamith touched the forbidden subject, but much desired by all.
The hosts almost drove the blows from there, but the gypsy no fool imagined'll fix the mistake I made, man with whom want nothing, came for a visit this time with ulterior motives, got caught and was greeted happily by owners of the House. They were tired of dealing, and took an appetizer until dinner is ready, the gypsy said go straight to the point, want to have a child even Alvim Ladybug? They gulped, looked at each other and almost together answered yes.
She said I will bring a gajão here tomorrow for you to know who knows like him, they were blankly and asked how you want to stay with your child? Not my son was a boy who took on the road, he was lost without father or mother, as I saw that you want to have a very decided to introduce you, combined tomorrow bring the boy. At the crack of dawn next day Shulamith called and euphoric Ladybug met, this is Betovem I told you, a beautiful boy, dark, big, green eyes, it was love at first sight Alvim fell in love with Beto, Ladybird was laughing and crying at the same time . It was a very special day for the couple and Beto, the Roma did not wait to find out if it would work, hastily arrived at the lodge gathered all his people and left the city.
In the late afternoon to evening the couple thought as we stay with this child of three years only, it will be difficult for us and the family will be to come after him, this time knew that the Roma had left town. What to do now? They were completely in love with Betovem and not knowing how to deal with the new situation they were in now. Who will help us thought, Beto asked suspiciously I'm going to sleep here tonight? Yes of course, but in the midst of all this the boy told them know you could adopt me adopt? What's this child, the boy stared at the floor said like it was my mother, it is beautiful like mine when she lived on earth with me, you live in your mother now asked without intender well, he replied in her heaven and my father , died in the accident, the gypsy took me and brought me said he would give a mother to me, it's you, is not it? He insisted the boy, the couple embraced with the boy and wept how can this child so beautiful and alone, tried to get the paperwork and adopted the boy, who now lives happily with her new parents. Shulamith was happy when he learned what had happened and thought God writes straight with crooked lines.

Text written by Lucy Couto. Copyright reserved to the author. The copying, collage, reproduction or disclosure of any kind in any medium of all or part of this work without permission of the author under penalty of violation of Brazilian law and International Protection of Intellectual Property Rights. 

Durante muchos años en la pequeña ciudad de Río Bajo había una pareja que soñaba con tener hijos, pero esto fue un deseo imposible a los ojos humanos. Para la mariquita era la mujer de su Alvim desde niña tenía el útero se extirpa durante la cirugía para extirpar un tumor. Pero su Alvim nunca mencionó este hecho a la mujer con el fin de no hacerle daño.
Mariquita a su vez sabía de su problema, pero no mencionó a nadie, y esta manía vivió tanto siempre con ganas de tener hijos. Un día, sin embargo, llegó a la ciudad de Roma muchas tiendas de campaña que lanzó justo al lado de la casa de su Alvim. Venían de una ciudad lejana y en muchas partes de vender, Morgadinho de dónde venían hubo muchas noticias que Río abajo no había sido una de estas visitas que Roma hizo la pareja con el fin de vender sus piezas de tejido que mariquita comenzó una amistad con shulamith la Roma.
La amistad entre ellos iba muy bien, era un montón de risas, chistes, intercambios de regalos, todo sobre la base de la amistad, pero Shulamith tocó el tema prohibido, pero mucho más deseada por todos.
Los anfitriones casi expulsaron a los golpes desde allí, pero el gitano no es tonto imagined'll solucionar el error que hice, el hombre con el que no quieren tener nada, vinieron de visita esta vez con motivos ulteriores, ha atascado y fue recibido con alegría por los propietarios de la casa. Estaban cansados ​​de tratar, y tomaron un aperitivo hasta la cena está lista, la gitana dijo ir directamente al grano, quiero tener un hijo aunque Alvim mariquita? Se tragaron saliva, se miraron entre sí y casi juntos respondieron que sí.
Dijo que voy a traer un gajão aquí mañana para que usted sepa que sabe como él, que estaban sin expresión y preguntaron cómo desea permanecer con su hijo? No es mi hijo era un muchacho que tomó en el camino, se había perdido, sin padre ni madre, como vi que quieren tener una muy decidieron introducir usted combina mañana traer al niño. Al romper el día siguiente amanecer Shulamith llamó y eufórico mariquita se reunió, esto es Betovem lo he dicho, un niño hermoso,, ojos grandes, de color verde oscuro, fue amor a primera vista Alvim se enamoró de Beto, mariquita estaba riendo y llorando al mismo tiempo . Fue un día muy especial para la pareja y Beto, la Roma no se hizo esperar para saber si iba a funcionar, a toda prisa llegado a la casa de campo a todo su pueblo y salió de la ciudad.
En el final de la tarde a la noche la pareja pensó que nos quedamos con este niño de tan sólo tres años, será difícil para nosotros y la familia será el de venir después de él, esta vez sabía que la Roma se había ido de la ciudad. ¿Qué hacer ahora? Eran completamente enamorado de Betovem y no saber cómo hacer frente a la nueva situación en que se ahora. ¿Quién nos ayudará pensamos, Beto preguntó sospechosamente Voy a dormir aquí esta noche? Sí, por supuesto, pero en medio de todo esto, el muchacho le dijo que imaginaba que se podía adoptar adoptarme? ¿Cuál es este niño, el niño miraba al suelo, dijo que era mi madre, que es hermoso como el mío cuando vivió en la tierra conmigo, que viven en tu madre ahora se le preguntó sin intender así, respondió en su cielo y mi padre , murió en el accidente, el gitano me llevó y me trajo dijo que le daría una madre para mí, es usted, ¿no es así? Insistió en el niño, la pareja se abrazó con el niño y lloró cómo puede este niño tan hermoso y solo, tratado de obtener la documentación y adoptó al niño, que ahora vive feliz con sus nuevos padres. Shulamith estaba contento cuando se enteró de lo que había sucedido y pensó que Dios escribe derecho con líneas torcidas.

Texto escrito por Lucy Couto. Los derechos de autor reservado al autor. La copia, el collage, reproducción o divulgación de cualquier tipo en cualquier medio de todo o parte de este trabajo sin permiso del autor bajo pena de violación de la ley brasileña y Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual.

Mais Vistas do Mês

A menina que gostava da chuva.

Um dia frio e chuvoso como Línea gostava ela ficava da janela olhando a rua onde pessoas passavam apressadas por causa da chuva e os carros passavam molhando tudo que estivesse ao lado, as crianças que brincavam na rua correndo nas poças de água gritavam e jogavam água uns nos outros isto para Línea era o máximo como ela sentia vontade de sair e fazer o mesmo, mas não podia estava presa a uma cadeira de rodas. Sua mãe Micaela sofria ao ver sua princesinha tão bela e jovem presa a uma cadeira sem poder andar mas sentia conformada pois sabia que se Deus lhe deu uma filha assim ela merecia e ainda mais porque sua filha era bela inteligente e tinha saúde apenas não podia andar, mas ela era feliz o que parecia. O Pai José não aceitava muito bem achava que era praga de uma cigana que conheceu na adolescência e havia lhe rogado uma praga, ele havia xingado a cigana que proferiu algumas palavras e ele entendeu como praga. Mas sua esposa não pensava assim sabia que Deus não castigaria uma cria…

Poema | Ciclo da Vida.

Diante da vida coloco minhas expectativas de dias melhores e horas mais felizes e alegres, coloco minha esperança e minha angustia em saber que talvez esse dia nunca chegue. Coloco as tristezas e solidão, diante da vida dispo-me das mentiras que ocultamente atravessa os corações.
Diante da vida coloco a gratidão por todo bem recebido e acolhido de bom grado, coloco também a morte inesperada, mas sabida de todo vivente. Coloco também a verdade da vida sofrida que muitos vivem sem que outros saibam e possam estender-lhes as mãos.
Diante da morte não tem remédios todo ser vivente tomba independente do credo ou raça, morte é vida mesmo que pareça absurdo imaginar assim. Morrer para uns é vida para outros, talvez o sofrimento que faz corroer a carne não lhe vá corroer a alma assim o corpo morre, mas a alma vive eternamente.

Diante da morte e da vida não temos escolhas, nascemos, vivemos e depois morremos. Ao nascermos é alegria e festa, ao morrermos lágrimas e lamentos. Assim o ciclo inic…

Conto | Júlia a menina de rua.

Júlia é uma menina linda e perdida nas ruas, ela vive nas ruas desde seus quatro anos, sua mãe Jamyli a levava para escola quando foi assaltada e assassinada perto de Júlia. Desde esse dia a menina se perdeu nas ruas e nunca mais voltou para casa onde vivia sua avó que tinha mais de 70 anos. A avó procurou pela menina por muito tempo sem noticias. Enquanto isto Júlia vivia dormindo nas calçadas, longe de seu bairro, durante o dia comia restos de lixo e as vezes, ganhava um pedaço de pão de alguém que lhe oferecia. A noite chegava e Júlia se agarrava a seu ursinho de pelúcia e fazia sua pasta de cadernos de travesseiro. Na manhã seguinte ela caminhava sem rumo e acabava cada vez mais longe de sua avó. Numa destas manhãs ela encontrou outra criança um pouco mais velha que ela, Rita tinha 10 anos e ela tinha seis, fazia dois anos estava perdida nas ruas e seus sapatos havia estragado, ela andava descalça e seu vestido estava todo rasgado. Rita sempre procurava um local mais escondido, on…