Pular para o conteúdo principal

Literatura | Poesia | A menina disse que viu borboletas no jardim.

  
   A menina disse que viu uma borboleta no jardim
   Andaram dizendo que mentiu, mas é verdade existe
   Um jardim belo e florido com cheiro de primavera
   Lá as borboletas voam sobre as flores alegres a bailar
   A menina viu. Certamente esteve por lá!

    O jardim está coberto de roseiras com flores em botão
    Muitos cravos e margaridas, flores de coração, quem conhece
   Este jardim também plantou alguns brincos de princesa que atrai
   Os beija-flores e deixa muito colorido, feito o amor perfeito que 
   Cobre um terço do jardim, mostrando seu poder e dizendo a menina,
   Venha eu estou te esperando!

   Mas a menina cresceu se esqueceu do jardim, deixando
   As flores tristes, os beija-flores nem passam por lá,
   As borboletas? Elas se entristeceram e se foram da li
   Restando ainda algumas roseiras secas sem folhas
   Apenas o amor perfeito sobrevive, sabe porquê?
   O amor é imortal nunca morre! Mas será?
   É dizem que é verdade andei indo por lá.!

  Texto da escritora Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte desta obra, sem autorização expressa da autora sob pena de violação das Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual.
Luzia Couto é autora do Romance "Uma prisão no paraíso", á venda nas livrarias Clube de Autores (Versão Impressa) e Amazon (Versão Digital)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
The girl said she saw a butterfly in the garden
   They've been saying they lied, but it's true.
   A beautiful, flowery garden with a springy smell
   There butterflies fly over the joyful flowers to dance
   The girl saw it. You certainly were there!

    The garden is covered with rosebushes with flower buds
    Many carnations and daisies, flowers of the heart, who knows
   This garden also planted some princess earrings which attracts
   The hummingbirds and leaves very colorful, made the perfect love that
   It covers a third of the garden, showing its power and telling the girl,
   Come on, I'm waiting for you!

   But the girl grew up forgot the garden, leaving
   The sad flowers, the hummingbirds do not even pass by,
   The butterflies? They were sad and gone.
   Still remaining some dry leaves without leaves
   Only perfect love survives, do you know why?
   Love is immortal never die! But it will be?
   It is said that it is true I was going there.!

  Text of the author Luzia Couto. Copyright The author is reserved. No part of this work may be copied, collated, reproduced or reproduced in any medium without the express authorization of the author under penalty of violation of the Brazilian and International Laws for the Protection of Intellectual Property Rights.
Luzia Couto is the author of the novel "A Prison in Paradise", for sale at the Book Club Authors Club (Printed Version) and Amazon (Digital Version)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
La chica dijo que vio una mariposa en el jardín
   Caminaron mentido diciendo que, pero es cierto que hay
   Un hermoso jardín de flores con aroma de primavera
   Hay mariposas vuelan sobre las flores alegres para bailar
   La chica vio. Ciertamente estado allí!

    El jardín está cubierto de rosas con capullos de flores
    Muchos claveles y margaritas, flores del corazón, que sabe
   Este jardín también se plantó algunas fucsias que atrae
   Colibríes y hojas muy colorido, hecho el amor perfecto
   Se cubre una tercera parte del jardín, mostrando su poder y decirle a la chica,
   Ser que me estén esperando!

   Sin embargo, la niña creció jardín olvidado, dejando
   flores tristes, colibríes o ir allí,
   Mariposas? Ellos fueron los afligidos y li
   aún dejando algunas rosas secas y sin hojas
   Sólo sobrevive perfecto amor, usted sabe por qué?
   El amor es inmortal nunca muere! Pero lo es?
   Dicen que es cierto que he estado yendo allí.!

  Luzia Couto escritor del texto. Los derechos de autor reservado al autor. La copia, el collage, reproducción o divulgación de cualquier tipo en cualquier medio de todo o parte de este trabajo sin permiso del autor bajo pena de violación de la ley brasileña y Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual.
Luzia Couto es autor el romance "Una prisión en el paraíso", a la venta en las librerías Autores Club (Versión impresa) y Amazon (versión digital)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
La jeune fille dit qu'elle a vu un papillon dans le jardin
   Ils marchèrent menti en disant que, mais il est vrai qu'il
   Un beau jardin fleuri avec le printemps parfum
   Là papillons volent au-dessus des fleurs joyeuses à danser
   La jeune fille a vu. Certainement été là!

    Le jardin est recouvert de roses avec boutons de fleurs
    Beaucoup d'œillets et de marguerites, fleurs de coeur, qui sait
   Ce jardin a également planté des fuchsias qui attire
   Colibris et les feuilles très coloré, fait l'amour parfait
   Elle couvre un tiers du jardin, montrant sa puissance et de dire la jeune fille,
   Viens, je suis en attente pour vous!

   Mais la jeune fille a grandi jardin oubliée, laissant
   fleurs Sad, colibris ou y aller,
   Papillons? Ils attristent et étaient les li
   en laissant quelques roses séchées sans feuilles
   Seuls les parfaits survit d'amour, vous savez pourquoi?
   L'amour est immortel ne meurt jamais! Mais est-il?
   Ils disent qu'il est vrai que je suis allés là-bas.!

  Luzia Couto auteur du texte. Droit d'auteur réservé à l'auteur. La copie, le collage, la reproduction ou la divulgation de toute nature sur tout support de tout ou partie de ce travail sans l'autorisation de l'auteur, sous peine de violation de la loi brésilienne et de la protection internationale des droits de propriété intellectuelle.
Luzia Couto est roman auteur "Une prison au paradis", en vente dans les librairies Auteurs Club (Version imprimable) et Amazon (Digital Version)

Mais Vistas do Mês

A menina que gostava da chuva.

Um dia frio e chuvoso como Línea gostava ela ficava da janela olhando a rua onde pessoas passavam apressadas por causa da chuva e os carros passavam molhando tudo que estivesse ao lado, as crianças que brincavam na rua correndo nas poças de água gritavam e jogavam água uns nos outros isto para Línea era o máximo como ela sentia vontade de sair e fazer o mesmo, mas não podia estava presa a uma cadeira de rodas. Sua mãe Micaela sofria ao ver sua princesinha tão bela e jovem presa a uma cadeira sem poder andar mas sentia conformada pois sabia que se Deus lhe deu uma filha assim ela merecia e ainda mais porque sua filha era bela inteligente e tinha saúde apenas não podia andar, mas ela era feliz o que parecia. O Pai José não aceitava muito bem achava que era praga de uma cigana que conheceu na adolescência e havia lhe rogado uma praga, ele havia xingado a cigana que proferiu algumas palavras e ele entendeu como praga. Mas sua esposa não pensava assim sabia que Deus não castigaria uma cria…

Poema | Ciclo da Vida.

Diante da vida coloco minhas expectativas de dias melhores e horas mais felizes e alegres, coloco minha esperança e minha angustia em saber que talvez esse dia nunca chegue. Coloco as tristezas e solidão, diante da vida dispo-me das mentiras que ocultamente atravessa os corações.
Diante da vida coloco a gratidão por todo bem recebido e acolhido de bom grado, coloco também a morte inesperada, mas sabida de todo vivente. Coloco também a verdade da vida sofrida que muitos vivem sem que outros saibam e possam estender-lhes as mãos.
Diante da morte não tem remédios todo ser vivente tomba independente do credo ou raça, morte é vida mesmo que pareça absurdo imaginar assim. Morrer para uns é vida para outros, talvez o sofrimento que faz corroer a carne não lhe vá corroer a alma assim o corpo morre, mas a alma vive eternamente.

Diante da morte e da vida não temos escolhas, nascemos, vivemos e depois morremos. Ao nascermos é alegria e festa, ao morrermos lágrimas e lamentos. Assim o ciclo inic…

Conto | Júlia a menina de rua.

Júlia é uma menina linda e perdida nas ruas, ela vive nas ruas desde seus quatro anos, sua mãe Jamyli a levava para escola quando foi assaltada e assassinada perto de Júlia. Desde esse dia a menina se perdeu nas ruas e nunca mais voltou para casa onde vivia sua avó que tinha mais de 70 anos. A avó procurou pela menina por muito tempo sem noticias. Enquanto isto Júlia vivia dormindo nas calçadas, longe de seu bairro, durante o dia comia restos de lixo e as vezes, ganhava um pedaço de pão de alguém que lhe oferecia. A noite chegava e Júlia se agarrava a seu ursinho de pelúcia e fazia sua pasta de cadernos de travesseiro. Na manhã seguinte ela caminhava sem rumo e acabava cada vez mais longe de sua avó. Numa destas manhãs ela encontrou outra criança um pouco mais velha que ela, Rita tinha 10 anos e ela tinha seis, fazia dois anos estava perdida nas ruas e seus sapatos havia estragado, ela andava descalça e seu vestido estava todo rasgado. Rita sempre procurava um local mais escondido, on…