Pular para o conteúdo principal

Literatura | Romance | Uma historia de amor dedicada as mulheres.

Sabrina era uma escritora que já havia escrito vários livros e ainda pensava escrever muitos ainda, mas sua saúde não estava ajudando. Apesar de 70 anos ela era bem forte e tinha uma aparência bela e elegante, mas seu coração estava cansado e queria parar quando escreveu o último onde dizia que mulheres são flores que florescem no jardim e permanecem belas e perfumadas até serem colhidas pelos homens, ela dizia que após colhida pelos homens elas flores mulheres murchavam e acabavam se despetalando e levadas ao vento espalhando ainda sim perfume pelos ares e perfumando o mundo. Ela se referia as mulheres como rosas delicadas e perfumadas onde a beleza se destacava, mas dizia também que as mulheres são fortes capazes de suportar tanto ou mais que os homens, batalhas e trabalhos pesados não existe para mulheres pois elas nasceram para vencer e servir. Quando as mulheres viam Sabrina elas gritavam corriam a seu encontro e lhe cobria de carinhos isto era para a escritora que vendia pouco livros e sim doava as pessoas que gostavam de ler especialmente as mulheres a quem descrevia com encanto e prazer. Dinheiro não importava a ela o que tinha era suficiente não tinha filhos e ficou sozinha no mundo era filha única.
Quando Sabrina começou a escrever seu último livro estava bem de saúde aparente, mas o coração sentia fortes apertos ela gostava de viver era muito divertida se alegrava com tudo e contentava com pouco, gostava de sentar no jardim em sua cadeira de balanço onde ficava olhando as rosas vermelhas e os beija-flores e borboletas que apareciam, neste tempo ela tinha inspirações que lhe faziam sentir animada a prosseguir com suas histórias.
Numa tarde depois de tirar uma soneca ela sentou em sua cadeira e ficou relembrando os tempos de sua juventude de como era bela e como conheceu seu grande amor, sentia seu coração batendo forte como se tivesse vivendo aqueles lindos momentos novamente, conseguiu sentir o cheiro do homem amado e pode até ouvir ele cantando sua canção preferida onde dizia em mulher não se bate nem com uma flor. Ela suspirou e sentiu uma lagrima rolar em seu rosto sentiu um beijo de seu falecido marido lhe beijando aquela lagrima, então teve certeza seu fim estava próximo. Tomou seu caderno onde escrevia tudo e começou a escrever uma breve história de amor dedicada a todas as mulheres que como ela era apaixonada pela vida pelas rosas e por uma boa leitura. Rapidamente escreveu uma pequena história de amor e mandou publicar suas amigas e suas leitoras mulheres que eram muitas vieram toda a sua noite de autógrafos, depois de muitas fotos e muitos sorrisos ela distribuiu os livros que ela mesma pagou para todas as mulheres presentes com uma dedicatória muito especial que dizia : dedico este livro a todas as mulheres que amam a vida e fazem deste pequeno mundo das páginas de um livro o seu grande mundo onde elas viajam e conhecem os mais belos dos cavalheiros existentes da terra, e onde elas se encontram como rosas perfumadas que enfeitam a vida de milhares de homens e podem voar na imaginação de seus mais íntimos desejos.
Na manhã seguinte Sabrina realizou um grande chá beneficente onde se encontrou com milhares de pessoas especificamente o público feminino, se despediu em silêncio, no íntimo de seu coração sabia que era a última vez que se encontrava com seu público favorito e amado. Sua voz embargou quando fez seu discurso e as lagrimas molharam seu rosto os olhos azuis encharcados baixaram ela disse um obrigado e ofereceu uma poesia a todos os presentes. Se recolheu no seu jardim e permaneceu um mês escrevendo uma última história que seria divulgada depois de sua morte, ela preparou tudo com muito carinho e deixou documentado sua vontade derradeira, doar tudo que tinha a uma instituição que cuidava das mulheres com depressão e as mulheres que sofriam maus tratos, ela já cuidava desta instituição, morreu em sua cadeira de balanço olhando suas rosas vermelhas e com muitas rosas a desabrochar, deixou um legado a todas as mulheres que elas fossem felizes da forma que fosse possível. 

Texto de Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele sem autorização prévia e expressa da autora. Os Direitos estão assegurados nas Leis brasileiras e internacionais de proteção à propriedade intelectual e o desrespeito estará sujeito à aplicação das sanções penais cabíveis.

Sabrina was a writer who had written several books and many still thought to write yet, but his health was not helping. Despite 70 years she was very strong and had a beautiful and elegant appearance, but his heart was tired and wanted to stop when he wrote the last which said that women are flowers blooming in the garden and remain beautiful and fragrant to be harvested by men, she he said that after they collected the men women flowers wilted and ended up despetalando and taken the wind still spreading yes scent perfuming the air and the world. She was referring to women as delicate and fragrant roses where beauty stood out, but said also that women are strong able to support as much or more than men, battles and heavy work does not exist for women because they were born to win and serve. When women saw Sabrina shouted they ran to meet her and covered her caresses it was for the writer who sold little books but gave away the people who liked to read especially women who described with charm and pleasure. Money did not matter to her what he had was enough had no children and was alone in the world was an only child.
When Sabrina began writing his last book was well apparent health, but the heart felt strong grips she liked living was very fun was happy with everything and content with little, I liked to sit in the garden in her rocking chair he was looking at the red roses and hummingbirds and butterflies appeared, this time she had inspirations that made him feel encouraged to proceed with their stories.
One afternoon after taking a nap she sat in her chair and was recalling the days of his youth as it was beautiful and how he met his great love, felt his heart pounding as if he had living those beautiful moments again, could smell the beloved man and can even hear him singing his favorite song where a woman said not hit or with a flower. She sighed and felt a tear roll down her face felt a kiss from her late husband kissing her one tear, then made sure his end was near. He took his notebook where he wrote all and began to write a short love story dedicated to all women as she was in love with life by roses and a good read. Quickly wrote a short story of love and had published her friends and her readers women who were many came all his book signing, after many photos and many smiles she distributed the books that she paid for all the women present with a dedication very special saying, I dedicate this book to all women who love life and make this little world from the pages of a book its great world where they travel and know the most beautiful of existing gentlemen of the earth, and where they are as fragrant roses that adorn the lives of thousands of men and can fly in the imagination of their innermost desires.
The next morning Sabrina held a big charity tea where he met with thousands of people specifically female audience, took leave quietly, deep in his heart he knew it was the last time you met with your favorite and beloved public. His voice broke when he made his speech and the tears wet her face waterlogged blue eyes lowered she said one thanks and offered a poetry to all present. If collected in your garden and remained one month writing one last story that would be published after his death, she prepared everything with love and let documented his last will, donate all he had to an institution that took care of women with depression and women who suffered ill-treatment, she already took care of this institution, died in her rocking chair looking at her red roses and many roses blooming, left a legacy to all women that they were happy the way as possible.

Luzia Couto text. Copyright reserved to the author. The copying, collage, reproduction or disclosure of any kind whatsoever, the whole or part without the prior and express authorization of the author. Rights are guaranteed in the Brazilian and international laws of intellectual property protection and disrespect will be subject to the application of appropriate penalties.


Sabrina era un escritor que había escrito varios libros y muchos todavía pensado en escribir todavía, pero su salud no estaba ayudando. A pesar de 70 años que era muy fuerte y tenía un aspecto hermoso y elegante, pero su corazón estaba cansado y quería parar cuando escribió la última, que dice que las mujeres son las flores que florecen en el jardín y siguen siendo hermosa y fragante para ser cosechado por los hombres, ella dijo que después de que recogieron las mujeres de los hombres flores marchitas y terminaron despetalando y toman el viento sigue extendiéndose sí olor perfumar el aire y el mundo. Se refería a las mujeres como rosas delicadas y fragantes donde la belleza se destacó, pero también ha dicho que las mujeres son fuertes capaces de soportar tanto o más que los hombres, las batallas y el trabajo pesado no existe para las mujeres porque han nacido para ganar y servir. Cuando las mujeres vieron gritó Sabrina corrieron a su encuentro y se cubren la acaricia lo fue para el escritor que vende libros poco pero dieron a la gente que le gustaba leer sobre todo las mujeres que describieron con el encanto y el placer. El dinero no importaba a ella lo que tenía era suficiente no tenía hijos y estaba sola en el mundo era hijo único.
Cuando Sabrina comenzó a escribir su último libro de salud bien aparente, pero el corazón se sentía fuertes apretones que le gustaba estar era muy divertido estaba contento con todo y con poco contenido, me ha gustado para sentarse en el jardín en su mecedora que estaba mirando a la rosas rojas y colibríes y mariposas aparecieron, esta vez ella tenía inspiraciones que lo hacían sentirse animados a continuar con sus historias.
Una tarde, después de tomar una siesta se sentó en su silla y fue recordando los días de su juventud ya que era precioso y cómo conoció a su gran amor, sintió que su corazón late con fuerza, como si tuviera que viven esos bellos momentos de nuevo, podría oler el amado hombre y puede incluso oírlo cantar su canción favorita cuando una mujer dijo no acertar o con una flor. Suspiró y sintió una lágrima en su cara se sentía un beso de su difunto esposo besando a su sola lágrima, a continuación, se aseguró de que su fin estaba próximo. Se tomó su cuaderno donde escribió todo y comenzó a escribir una historia de amor corta dedicada a todas las mujeres como ella estaba enamorada de la vida por las rosas y una buena lectura. Rápidamente escribió una historia corta del amor y había publicado sus amigos y sus lectores las mujeres que eran muchos vinieron toda su firma de libros, después de muchas fotos y muchas sonrisas que distribuye los libros que se pagó por todas las mujeres presentes con una dedicación dicho muy especial, dedico este libro a todas las mujeres que aman la vida y hacen de este pequeño mundo de las páginas de un libro de su gran mundo donde viajar y conocer los más bellos de señores existentes de la tierra, y donde están tan fragantes rosas que adornan la vida de miles de hombres y pueden volar en la imaginación de sus deseos más íntimos.
A la mañana siguiente Sabrina llevó a cabo un gran té de la caridad donde se reunió con miles de personas audiencia específicamente femenina, se despidió en silencio, el fondo de su corazón sabía que era la última vez que se reunió con su público favorito y amado. Su voz se quebró cuando pronunció su discurso y las lágrimas se mojó la cara anegada ojos azules bajaron dijo uno gracias y ofrecieron una poesía a todos los presentes. Si recoge en su jardín y siguió siendo uno el mes de escribir una última historia que se publicó después de su muerte, se preparó todo con amor y dejar que documentó su última voluntad, donar todo lo que tenía a una institución que se encargó de las mujeres con la depresión y las mujeres quien sufrió malos tratos, que ya se hizo cargo de esta institución, murió en su mecedora mirando sus rosas rojas y muchas rosas en flor, dejó un legado a todas las mujeres que estaban felices de la manera de lo posible.

Luzia texto Couto. Los derechos de autor reservado al autor. La copia, el collage, reproducción o divulgación de cualquier tipo que sea, la total o parcial sin la autorización previa y expresa del autor. Derechos están garantizados en las leyes nacionales e internacionales de protección de la propiedad intelectual y la falta de respeto estarán sujetos a la aplicación de sanciones apropiadas.


Mais Vistas do Mês

A menina que gostava da chuva.

Um dia frio e chuvoso como Línea gostava ela ficava da janela olhando a rua onde pessoas passavam apressadas por causa da chuva e os carros passavam molhando tudo que estivesse ao lado, as crianças que brincavam na rua correndo nas poças de água gritavam e jogavam água uns nos outros isto para Línea era o máximo como ela sentia vontade de sair e fazer o mesmo, mas não podia estava presa a uma cadeira de rodas. Sua mãe Micaela sofria ao ver sua princesinha tão bela e jovem presa a uma cadeira sem poder andar mas sentia conformada pois sabia que se Deus lhe deu uma filha assim ela merecia e ainda mais porque sua filha era bela inteligente e tinha saúde apenas não podia andar, mas ela era feliz o que parecia. O Pai José não aceitava muito bem achava que era praga de uma cigana que conheceu na adolescência e havia lhe rogado uma praga, ele havia xingado a cigana que proferiu algumas palavras e ele entendeu como praga. Mas sua esposa não pensava assim sabia que Deus não castigaria uma cria…

Poema | Ciclo da Vida.

Diante da vida coloco minhas expectativas de dias melhores e horas mais felizes e alegres, coloco minha esperança e minha angustia em saber que talvez esse dia nunca chegue. Coloco as tristezas e solidão, diante da vida dispo-me das mentiras que ocultamente atravessa os corações.
Diante da vida coloco a gratidão por todo bem recebido e acolhido de bom grado, coloco também a morte inesperada, mas sabida de todo vivente. Coloco também a verdade da vida sofrida que muitos vivem sem que outros saibam e possam estender-lhes as mãos.
Diante da morte não tem remédios todo ser vivente tomba independente do credo ou raça, morte é vida mesmo que pareça absurdo imaginar assim. Morrer para uns é vida para outros, talvez o sofrimento que faz corroer a carne não lhe vá corroer a alma assim o corpo morre, mas a alma vive eternamente.

Diante da morte e da vida não temos escolhas, nascemos, vivemos e depois morremos. Ao nascermos é alegria e festa, ao morrermos lágrimas e lamentos. Assim o ciclo inic…

Conto | Júlia a menina de rua.

Júlia é uma menina linda e perdida nas ruas, ela vive nas ruas desde seus quatro anos, sua mãe Jamyli a levava para escola quando foi assaltada e assassinada perto de Júlia. Desde esse dia a menina se perdeu nas ruas e nunca mais voltou para casa onde vivia sua avó que tinha mais de 70 anos. A avó procurou pela menina por muito tempo sem noticias. Enquanto isto Júlia vivia dormindo nas calçadas, longe de seu bairro, durante o dia comia restos de lixo e as vezes, ganhava um pedaço de pão de alguém que lhe oferecia. A noite chegava e Júlia se agarrava a seu ursinho de pelúcia e fazia sua pasta de cadernos de travesseiro. Na manhã seguinte ela caminhava sem rumo e acabava cada vez mais longe de sua avó. Numa destas manhãs ela encontrou outra criança um pouco mais velha que ela, Rita tinha 10 anos e ela tinha seis, fazia dois anos estava perdida nas ruas e seus sapatos havia estragado, ela andava descalça e seu vestido estava todo rasgado. Rita sempre procurava um local mais escondido, on…